top of page
Buscar

IA generativa: o que você precisa saber sobre ela e 4 plataformas para explorar

Neste texto, vamos mergulhar fundo em uma das áreas, sem dúvidas, mais fascinantes da Inteligência Artificial: a Inteligência Artificial Generativa, que tem tido um momento de buzz em diferentes aspectos na sociedade devido a sua “fácil” usabilidade e diversificada aplicabilidade.


Vamos entender um pouco mais qual é o papel desse tipo de IA, indo além do ramo de negócios e gestão, em que algoritmos se tornam artistas, compositores e escritores, desenvolvendo novas formas de dar vida a criações artísticas e abrindo um novo mar de possibilidades.


Acompanhe o texto para descobrir mais sobre:


  • O que é a IA Generativa;

  • Plataformas de IA Generativa para testar;

  • O futuro da IA generativa e algumas preocupações;

  • Considerações finais.


O que é a IA generativa?

Em linhas gerais, podemos definir a IA Generativa como uma gama de algoritimos que podem ser utilizados para criar diferentes tipos de conteúdos, incluindo códigos, imagens, textos, simulações, áudios e vídeos.


De uma forma mais conceitual e técnica, a Inteligência Artificial Generativa utiliza modelos de Machine Learning (Aprendizado de Máquina) para aprender padrões e relacionar os diferentes conjuntos de dados baseados em conteúdos criados por humanos para aprender esses padrões e criar novos conteúdos a partir da interação com o ser humano (a partir de prompts).


Exemplo simples: o ChatGPT, por exemplo, é alimentado com um grande volume de dados disponíveis na internet; e quando alguém acessa a plataforma e faz alguma consulta, como “Gostaria de uma receita de Bolo de Laranja”, ele vai “vasculhar” todas as informações disponíveis e sintetizá-las para você em uma resposta.


Aplicações de IA generativa de modo generalista

No campo dos negócios, a utilização de dados e da Inteligência Artificial tem sido bastante difundida devido às novas possibilidades que se abrem para realizar análises, predictar próximos passos e tomar melhores decisões.


Mas neste conteúdo, vamos falar sobre as aplicações mais generalistas da IA e, em especial, a potência que aplicações como estas podem desempenhar em trabalhos mais focados no entretenimento e na criação de novos conteúdos diferentes em áudio, vídeo e textos, de forma a otimizar tempo e proporcionar novas possibilidades criativas.


Confira 2 exemplos de ferramentas focadas em áudio, vídeo e texto, para além do ChatGPT:


2 aplicações de IA para textos

Perplexity: Similar ao GPT, o Perplexity gera textos com base em perguntas feitas, tendo o diferencial de mostrar os links de origem e buscar imagens ou vídeos relacionados ao tema.

Bing AI: Oferece respostas a consultas por texto de maneira semelhante ao GPT, utilizando o modelo GPT-4 e incluindo um recurso de criação de imagens.


2 aplicações de IA para áudio

Lyrebird: Plataforma que sintetiza vozes humanas a partir de amostras de áudio, possibilitando a criação de vozes personalizadas para diversas aplicações, como assistentes virtuais e dublagens de vídeos.

LANDR: Ferramenta de masterização de áudio que emprega IA para analisar e aprimorar a qualidade sonora de músicas de forma automatizada.


2 aplicações de IA para vídeos

Lumen5: Plataforma que transforma texto em vídeos dinâmicos com imagens, texto animado e música de fundo automaticamente, facilitando a criação de conteúdo visual para marketing e apresentações.

Vocal Synthesis: Tecnologia que gera dublagens automáticas de vídeos, sincronizando a fala com os movimentos labiais, proporcionando localização de conteúdo em diferentes idiomas de forma eficiente.


O futuro da IA generativa e algumas preocupações

O futuro da IA generativa é promissor e, ao mesmo tempo, motivo de algumas preocupações.


À medida que essa tecnologia avança, a tendência é que ela continue a revolucionar vários setores — que comentamos acima e que vão muito além do campo da criatividade para escritores, músicos e editores de vídeo.


No campo da criação de conteúdo, a IA generativa está prevista para se tornar ainda mais sofisticada, permitindo a geração de textos, imagens, áudio e vídeos de alta qualidade e praticamente indistinguíveis dos produzidos por humanos.


Obviamente que isto abrirá novas possibilidades criativas e aumentará a eficiência na produção de conteúdo, facilitando a vida de criadores de conteúdo.


No campo empresarial também a ideia é que as IAs se sofistiquem cada vez mais e que possam ajudar a gerar resultados cada vez mais satisfatórios quando aplicadas em diferentes setores da indústria e de serviços, passando por diferentes segmentos do mercado.


Entretanto, junto com essas perspectivas otimistas, surgem várias preocupações éticas e sociais relacionadas ao avanço dessas tecnologias.


Por exemplo, em relação ao ambiente criativo, uma das principais preocupações é a questão da autenticidade e manipulação de conteúdo. Com o aumento da capacidade de criar conteúdo sintético altamente realista, surgem preocupações sobre a disseminação de informações falsas e a manipulação de mídia para enganar ou influenciar as pessoas, bem como também refletir sobre os limites da “criação” e da “cópia”, considerando que essa IA se alimenta de coisas já existentes para criar as novas.


Além disso, existe a preocupação com o impacto no mercado de trabalho. À medida que a IA generativa se torna mais capaz de realizar tarefas criativas e cognitivas, há o risco de substituir empregos tradicionalmente realizados por humanos, o que pode levar ao desemprego e potencializar ainda mais desigualdades econômicas.


Outras preocupações incluem questões de privacidade e segurança, viés algorítmico, controle e governança de sistemas de IA, e o desenvolvimento de tecnologias de IA fora de controle humano.


Portanto, é crucial abordar essas preocupações de forma proativa por meio de regulamentações adequadas — como é o exemplo do que foi aprovado nos últimos dias na Europa, com uma lei que promove a regulamentação da Inteligência Artificial —, transparência nos processos de desenvolvimento de IA e engajamento público na discussão sobre o futuro da IA generativa.


E agora?

Agora que você sabe mais um pouco sobre a Inteligência Artificial Generativa, o que ela é e o que ela promete revolucionar, e já está revolucionando, alguns aspectos da sociedade, bem como entendendo alguns dos riscos que ela pode oferecer, trazendo consigo uma série de desafios éticos, sociais e econômicos que precisam ser cuidadosamente considerados e abordados, você pode pensar mais criticamente sobre esses novos recursos.


Aqui na Sideschool, você vai encontrar muitos conteúdos relacionados às novas tecnologias e suas implicações, bem como cursos e treinamentos preparados especialmente para garantir que você esteja alinhado com os passos que a tecnologia e a inovação vêm trilhando, garantindo que você se prepare cada vez melhor para enfrentar os desafios do mercado.


Confira os cursos da Sideschool em IA, dados e negócios clicando aqui.

Comments


bottom of page